Neste 8 de março, a tng quer mostrar a todos que #MulherPodeSim

Por 6 de março de 2017Acontece
Dia das Mulheres

Sabemos que, diariamente, mulheres do mundo inteiro fazem coisas incríveis em sua luta diária. Separamos alguns feitos que você pode não conhecer, mas que sem dúvidas mudaram a história de todos nós!

Carolina Martiscelli Bori: garantiu a regulamentação da profissão de Psicólogo no país.
Carolina Martiscelli Bori obteu doutorado em Psicologia em 1954, e em 1959 tornou-se professora de psicologia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro, São Paulo. Sua atuação como presidente da Associação Brasileira de Psicologia, e mais tarde na Sociedade de Psicologia de São Paulo, garantiu a regulamentação da profissão de psicólogo no país. Ela obteve o registro número um no conselho da categoria por ser a única mulher entre os constituintes, e o decreto-lei que determinou o currículo mínimo para a formação em Psicologia também foi possível graças à sua militância.

Margaret Hamilton: liderou a missão Apolo 11, que levou o homem à lua.
Margaret Heafield Hamilton atuou como diretora de programação dos projetos Apollo e Skylab, e liderou a equipe de matemáticos e engenheiros do MIT com a tarefa de criar o programa de voo utilizado na missão Apollo 11, com o objetivo de fazer com que a nave Columbia pousasse na Lua pela primeira vez em 20 de julho de 1969. Hoje, Margaret Hamilton é creditada por ter criado a engenharia de software, além de já ter recebido inúmeros prêmios e homenagens e publicado mais de 100 artigos científicos na área. Atualmente com 80 anos, ela ainda participa das decisões de sua empresa, Hamilton Technologies Inc., que fundou em 1986 com o objetivo de oferecer produtos e serviços para modernizar o planejamento, o sistema de engenharia e o processo de desenvolvimento de software.

Hattie Larlham: a primeira a enxergar a importância de tratamento de saúde diferenciado para pacientes com necessidades especiais
Hattie Lena Gadd Larlham nasceu nos Estados Unidos em 1914 e formou-se no Youngstown Hospital Association School of Nursing como enfermeira. Decepcionada com a falta de programas assistenciais para crianças com deficiência, foi uma das primeiras enfermeiras a se especializar em cuidados e tratamentos específicos para crianças e adultos com necessidades especiais. Em 1961 ela e o marido transformaram a sua casa em um centro de atendimento para crianças com necessidades especiais, e em 1963 Hattie criou a Fundação Hattie Larlham, com capacidade para atendimento de 50 crianças e adultos com necessidades especiais. Atualmente, o centro atende mais de 1.800 crianças e adultos em todo o estado de Ohio, nos Estados Unidos.

Billie Jean King: a primeira atleta a revelar sua homossexualidade e lutar contra a disparidade salarial entre homens e mulheres no esporte.
Billie Jean King é uma tenista americana considerada uma das melhores tenistas e atletas femininas de todos os tempos. A atleta exerceu um papel fundamental para que as disparidades salariais entre homens e mulheres no esporte se encerrassem, assim como a distribuição dos prêmios nos torneios de tênis, que reservavam montantes maiores aos homens. Billie Jean King também fez história ao ser a primeira atleta a revelar sua homossexualidade publicamente e em 2009 foi condecorada pelo ex-presidente Barack Obama com a mais alta honraria que um civil pode receber nos Estados Unidos: a Medalha da Liberdade.

Katsuko Saruhashi: descobriu a importância da relação dos níveis de CO₂ e o aquecimento global.
Nascida em 1920 no Japão, Katsuko Saruhashi entrou na Universidade de Tóquio durante a 2ª Guerra Mundial e se formou em 1943. Em 1950 iniciou seus estudos sobre os níveis de CO2 nas águas do mar e obteve doutorado em química pela Universidade de Tóquio, tornando-se a primeira mulher a conseguir o diploma.
Nesta época os níveis de CO2 não eram reconhecidos como importantes para o aquecimento global. Katsuko não só foi a primeira pessoa a estudar esses níveis em todo o mundo como inventou métodos para estudá-los. Mais tarde, seus trabalhos de análise e monitoramento da radioatividade no Oceano Pacífico e sua propagação levaram a proibição dos testes atômicos realizados pelos Estados Unidos naquela área.

Ada Lovelace: a primeira programadora da história.
Nascida em 1815, a inglesa Ada Lovelace é responsável pela criação do primeiro algoritmo feito para ser processado por uma máquina. Em 1843, Ada traduziu os trabalhos do matemático Charles Babbage, que inventou o primeiro computador genérico. Nas notas deixadas por Ada, ela criou um algoritmo que poderia fazer com que o primeiro computador computasse uma série de números complexos, conhecidos como princípio de Bernoulli. Assim, Ada Lovelace escreveu o primeiro programa de computador do mundo, sendo não apenas a primeira mulher a escrever um código como a primeira pessoa programadora de todos os tempos. Contudo, o reconhecimento de seu pioneirismo ocorreu quase um século depois de sua morte, quando o renomado matemático e cientista da computação Alan Turing fez referência ao seu trabalho. Em 2009 foi criado o Ada Lovelace Day, comemorado todo dia 15 de outubro com o intuito de incentivar mulheres na ciência.

Paloma Cipriano: ensina construção de obra em vídeo-aulas gratuitas.
Paloma é uma universitária de 23 anos que dá aulas de construção de obra no YouTube. Decidiu apresentar seu trabalho quando estava passando por dificuldades financeiras e hoje seus vídeos confrontam o ideal de que obra civil não é “coisa de mulher”.

Agora, para celebrar a data, que tal um cineminha?

O filme “Estrelas Além do Tempo”, indicado ao Oscar na categoria de melhor filme, conta a história de uma equipe de cientistas da NASA formada por mulheres negras durante a Guerra Fria, liderando uma das maiores operações tecnológicas registradas na história americana. Essas mulheres se tornam heroínas da nação, sendo a sua participação um elemento crucial para a vitória dos Estados Unidos!